03. A subjetividade na redação do Enem: uma análise à luz dos estudos de Benveniste

Autores

  • ZACARIAS, Vinicius da Silva (UFMS e IFMS)

Resumo

     O presente trabalho se insere no campo da Linguística Aplicada e adota como objetivo identificar e discutir, a partir dos estudos benvenistianos, a presença de marcas de subjetividade em um texto dissertativo-argumentativo avaliado com nota máxima na prova de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em sua edição de 2019. O estudo se justifica pela necessidade de que o professor, a partir do reconhecimento de tais marcas nas redações de seus alunos, possa avaliar e intervir, se necessário, fomentando o desenvolvimento da capacidade de se posicionar e de assumir a função de sujeito no processo de enunciação dos discentes, compreendendo, assim, o funcionamento e as possibilidades oferecidas pela linguagem. As conclusões demonstram que, mesmo diante da necessidade de apagar-se enquanto sujeito, imposta pelo contexto da redação do Enem, a enunciação não deixa de ser instaurada, assim como as marcas da presença do locutor não deixam de figurar no texto tanto no modo semiótico quanto no semântico.

Palavras-chave:

Enem. Enunciação. Redação

Biografia do Autor

ZACARIAS, Vinicius da Silva, (UFMS e IFMS)

Possui graduação em Letras (Português - Inglês) pela Faculdade Estadual de Educação Ciências e Letras de Paranavaí - UNESPAR/FAFIPA (2011), especialização em Ensino de Língua Inglesa e uso de novas tecnologias pela Universidade Gama Filho - UGF (2013) e mestrado profissional em Letras pela Universidade Estadual de Maringá - UEM (2019). Atualmente, é professor EBTT no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul - IFMS - Câmpus Coxim e doutorando do Programa de pós-graduação em Estudos de Linguagens da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS/FAALC. Integra o Grupo de Estudos e Pesquisas em Linguagens e Educação - Geple (UFMS/CNPq).

Downloads

Publicado

05-05-2022

Edição

Seção

Artigos